quarta-feira, 31 de outubro de 2012

Vela

Vivo a vida mais bela

Até o dia em que ela

Me disser a capela

Que não vai mais ficar.


4 comentários:

  1. Que massa, sou muito ligado em estética nos poemas, pra mim forma é conteúdo também. A interrupção da rima com a interrupção do tema foi do caralho.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Valeu cara. Vc é sempre muito gentil. na moral mesmo!

      Excluir
  2. Apreciei o apaziguamento final e a literalidade reinando. Sentidos opulentos entrelinhas e entre linhas; contagens regressivas que enaltecem o valor de certas simplicidades. Quanta dureza amenizada em suavidade! Belo em demasia! Até, de olhos fechados, imaginei flores em solo exíguo. Compreendo - e, acima de tudo, sinto e permito - essa total ciência que possuíamos, quando, em meio às vidas e às mortes constantes, presenciamos o final e reconstruímos sempre o começo.

    Parabéns, Leonardo!

    Segui.

    Abraços.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Nem mereço louro algum. Vc enxergou o que descreve, glória tua!

      Excluir