segunda-feira, 26 de setembro de 2011

Morfina

Óh veleiro, busque alto
e paciente n'alguma brisa
a eficacia que me leve.

Ouvi ventos e redemoinhos
vendo os céus e o mar  abertos.
Eu ouvi vozes em solfejos
que eram rumores de você.

Deu vontade de partir derrepente.
Mas foi preciso uma farsa
pra matar o amor em mim.

5 comentários:

  1. Tão difícil matar um amor, mas você foi criativo! Uma semana maravilhosa pra você, um abraço!

    Ivana - Reserva de Emoções

    ResponderExcluir
  2. Amor não vai, fica. Tatuagem, sabe?
    Se não, um belo poema.

    Beijo.

    ResponderExcluir
  3. Que bela abstração, amigo. Parabéns

    ResponderExcluir